quinta-feira, 20 de junho de 2013

(*LENDA URBANA) SITE BLIND MAIDEN

A Lenda do site Blind Maiden (www.blindmaiden.com)
Essa lenda é da Espanha ou de algum país que fala espanhol, só achei informações sobre ela em espanhol...

É a lenda de um site macabro conhecido como Blind Maiden(Dama Cega).
www.blindmaiden.com

Talvez vc clique e não consiga entrar na página... Para entrar no site você tem q cumprir 3 requisitos:

1- Estar completamente sozinho

2- Tem que estar com todas as luzes apagadas

3- Entrar exatamente a Meia Noite (00:00)


Segundo a lenda, fazendo isso você consegue entrar em uma página bizarra, que vai te levar a uma experiência de absoluto TERROR.
Você deve ficar atento com os 5 sentidos e tomar muito cuidado para não clicar errado.
No site aparecem as palavras "Yes(sim) ou No(Não)".

Se você apertar NO(não), estará salvo da maldição, mas se apertar YES(sim) ai não tem mais saída...

Na tela do pc vai aparecer um video filmando ao vivo de dentro da sua casa. O video vai passar pela sua sala, cozinha, banheiro, quarto até chegar atrás de você. Você vai se ver, e pode até mexer o braço pra ver que é você mesmo.
Você vai encontrar a Dama Cega, ela vai arrancar os seus olhos e filmar sua cara de horror, e você passará a fazer parte da galeria de imagens do site.

Tem um boato de que um garoto apertou sim, e diz que viu uma garota muito linda se aproximando falando algo que ele não entendia, então quando a garota se aproximou ela ficou horrível, ele saiu correndo e caiu. A garota achou q ele havia morrido e foi embora...

Personas con deformidades :(

Las 10 Malformaciones más Extrañas

Historias de terror loquendo varias historias de terror

Edward Mordrake historia-documental IMPRESIONANTE

terça-feira, 14 de maio de 2013

TRIANGULO DAS BERMUDAS




Muitos foram os nomes dados ao lugar, como "Cemitério do Atlântico", “Mar do Demônio", “Mar dos navios perdidos” ou ainda “Mar das feiticeiras”.

O Triângulo das Bermudas ou Triângulo do Diabo é uma região do oceano Atlântico onde um grande número de aviões e navios desapareceram em condições misteriosas. As vértices deste triângulo costuma ser delimitado pela Ilha de Bermudas, pela cidade de San Juan em Porto Rico e por Miami, na Flórida, mas suas fronteiras são elásticas, podendo chegar a formar um losango para comportar todos os desaparecimentos da redondeza.

Para explicar tal fenômeno diversas teorias foram criadas, tais como: portais para outras dimensões, campos de energia provocados por antigos cristais do continente perdido de Atlântida abandonados no fundo do oceano, anomalias temporais, magnéticas ou gravitacionais, buracos negros, abduções alienígenas e monstros marinhos, já para os cientistas são frutos de súbitas erupções gasosas submarinas e ondas gigantes.

A primeira descrição que se teve sobre o Triângulo das Bermudas foi de Cristóvão Colombo, quando ia em direção à América, que relatou ter visto uma bola de fogo no céu, explicada hoje como um meteorito, também descreveu sua passagem pelo Mar dos Sargaços, que é uma parte do Oceano coberta de Sargaços (uma espécie de alga), sendo consideradas a verdadeira razão pelo desaparecimento de navios, pois suas longas calmarias aprisionavam os navios à vela, levando homens a abandonar seus navios ou morrer neles.

Charles Berlitz publicou em 1974, o livro "Triângulo das Bermudas”, sucesso de vendas, no qual abordava temas sobrenaturais dos desaparecimentos, citando fatos como: o mistério do Vôo 19, que era o nome de um grupo de cinco caças-bombardeiros TBM avenger da Marinha americana que decolou no dia 15 de dezembro de 1945, de Fort Lauderdale, que após um treinamento bem sucedido, desapareceu sem deixar vestígios, logo após desapareceu também um dos hidroaviões de resgate enviado, desencadeando uma das maiores operações de resgate da história, com mais de 240 aviões, navios da Marinha, barcos da guarda costeira, iates particulares e até submarinos, mas nada foi encontrado.

Em 29 de janeiro de 1948, um antigo bombardeiro inglês, o Star Tiger, também desapareceu no local, com 25 passageiros à bordo, a última notícia que se teve foi uma comunicação do piloto com a torre relatando que chegaria ao destino na hora prevista, sem relatar qualquer problema. Estranhamente, quase um ano depois, outro avião igual, o Star Ariel, também desapareceu sem deixar vestígios. O avião comercial DC-3, que fazia trajeto San Juan e Miami, também desapareceu e seus passageiros nunca foram encontrados.
Muitos navios também desapareceram no local, os que não desapareceram foram encontrados à deriva sem tripulação, a exemplo temos: o USS Cyclops que nunca mais foi visto após zarpar do posto das Bermudas; o S.S. Marine Súlfur Queen, um navio tanque carregado de enxofre que desapareceu após seu último contato, em 3 de fevereiro de 1963;o navio brasileiro São Paulo, destinado ao ferro-velho, que estava sendo rebocado por dois navios, mas um destes, temendo uma tempestade, soltou o cabo durante a noite, na manhã seguinte o navio e sua tripulação de 8 pessoas havia desaparecido sem deixar vestígios; Mary Celeste, um navio português encontrado à deriva em 1872, com carregamento de álcool, víveres e objetos pessoais intocáveis, mas neste caso o navio foi encontrado à milhares de quilômetros dali, na Costa de Portugal.

Muitas teorias foram levantadas para explicar os fatos, como por exemplo no Voo 19, no qual o piloto supostamente teria se perdido, já que naquela época não havia GPS, e teria feito outra rota, a frequência do rádio teria sido mudada, aparecendo no radar em Cuba, onde muitas pessoas teriam afirmado ter visto uma explosão no céu na mesma posição em que se encontrava no radar, onde destroços dos aviões e vestígios de óleo foram encontrados na água, a explicação para não terem encontrado corpos seria porque a região é infestada de tubarões. Já o DC 3 teria relatado problemas com suas baterias, mas o piloto resolveu recarregá-las durante o vôo, no qual houve uma pane elétrica, explicando o fato de não conseguir se comunicar com a torre.

A guarda costeira americana tem sempre a mesma resposta para todos os desaparecimentos do Triângulo das Bermudas:

“A guarda Costeira não se impressiona com causas sobrenaturais para acidentes no mar. Faz parte da sua experiência reconhecer que as forças combinadas da natureza com a imprevisibilidade do homem superam a mais imaginativa ficção científica muitas vezes por ano”.

De época em época novas teorias e fatos “supostamente” inexplicáveis surgem, ou são gradativamente aumentados, muitos ufólogos preferem até não tocar no assunto por achá-lo antiquado, mas alguns mistérios


permanecem inexplicáveis, seja pela crença dos povos ou por falta de base científica para serem desvendados.



TRIANGULO DO DRAGÃO







Trata-se de uma região do oceano Pacífico, ao redor da ilha de Miyake, a cerca de 100 km ao sul de Tóquio. Os pescadores falam muito dessa região, embora a mesma não apareça em cartas náuticas. Então prepare seu colete salva vidas, e embarque comigo em mais esse mistério...

O ocidente tomou certo conhecimento a respeito do Triângulo do Dragão, muito em função do livro "The Dragon's Triangle", escrito por Charles Berlitz. Segundo ele, nos anos de paz entre 1952 e 1954, o Japão perdeu cinco embarcações militares, com um total de tripulação desaparecida que supera 700 pessoas. O governo japonês, a fim de saber o motivo da perda de barcos e pessoas, financiou uma embarcação de investigação tripulada com mais de 100 cientistas, para estudar o Mar do Diabo. Depois, a embarcação desapareceu com todos os cientistas, e o Japão declarou a área como zona perigosa.

Posteriormente uma investigação, conduzida por Larry Kusche comprovou que, Berlitz havia exagerado nos números, mas que essa era uma região onde de fato aconteciam desaparecimentos não apenas de navios, mas também de aeronaves. Uma dessas aeronaves desaparecidas, seria da renomada aviadora Amelia Earhart, em 1937, quando a mesma sobrevoava essa região do Pacífico.

O voo do Boeing 707-323C com o prefixo PP-VLU, operado pela companhia aérea brasileira Varig, ficou famoso no ano de 1979. O avião cargueiro decolou do Aeroporto Internacional de Narita, em Tóquio, pouco antes das 20h30min do dia 30 de janeiro de 1979. O destino final era o Aeroporto Internacional do Galeão. Vinte minutos após a deixar o Japão o comandante Gilberto Araújo da Silva fez seu primeiro contato com a torre de controle e não relatou qualquer problema. O segundo contato deveria acontecer às 21 horas e 23 minutos, mas ele nunca foi feito. O avião desapareceu meia hora após a decolagem, sobre o Oceano Pacífico, e nenhum destroço ou sinal de queda foi encontrado. Ele transportava 153 quadros do pintor Manabu Mabe, avaliados na época em mais de 1,24 milhão de dólares. O relatório final da Varig sobre o caso diz “Não foi possível encontrar nenhum indício que lançasse qualquer luz sobre as causas do desaparecimento da aeronave”.

Há relatos de marinheiros, que dizem ter visto imensos navios sem tripulação navegando pela área, alguns até afirmam ter visto pelas redondezas o místico "Holandês Voador".

Assim como acontece com o Triângulo das Bermudas, muitos desaparecimentos e muitas lendas pairam sobre o local, e a ciência ainda não encontrou uma sólida explicação a respeito de tais desaparecimentos. Mas existe uma estranha coincidência, ou não, envolvendo os dois Triângulos, ambos se localizam na latitude de 35 graus. Levando muitos pesquisadores a acreditar que exista um Buraco de minhoca, um tipo de túnel que poderia ligar os dois famosos triângulos, dando a entender que um dos dois triângulos serve como buraco negro e o outro como um buraco branco.